A CORDA EM SI

A Corda em Si Conduite Art

O duo A Corda em Si, formado por Mateus Costa (contrabaixista, arranjador e compositor) e Fernanda Rosa (cantora e compositora), estreou em 2009 em Florianópolis/SC, com a proposta de fazer música na rara formação de contrabaixo e voz. Em 2010 lançaram o primeiro álbum, “O Som do Vazio”, trabalho com o qual representaram o Brasil em Lisboa/Portugal no ano de 2013, durante a realização do evento “O Ano do Brasil em Portugal”, a convite do Ministério da Cultura. O Som do Vazio foi aclamado pela crítica e recebeu menção honrosa do “Prêmio Os 100 Melhores Álbuns da Música Brasileira” pela revista Embrulhador.com, sendo lançado em várias regiões do país. O segundo álbum foi lançado em 2014, intitulado “Sinfonia Azul”, com direção musical de André Mehmari. O lançamento aconteceu em Florianópolis/SC, Curitiba/PR, Foz do Iguaçu/PR, Cuiabá/MT e Ciudad del Este/Paraguai. Em 2015 o duo participou de uma entrevista ao vivo na Emissora del Sur, de Montevideo/Uruguai, e no mesmo ano recebeu um Prêmio do Governo do Estado de Santa Catarina para a realização do videoclipe Sinfonia Azul e o Mar, com a música “Té Mais”. Em 2016 foram escolhidos para participar do Circuito Sesc de Música de Santa Catarina, realizando apresentações em 27 cidades do estado. Atualmente o duo se prepara para circular com o novo espetáculo, “LivreMente”, vencedor do Prêmio do Governo do Estado de Santa Catarina em 2018.

O SOM DO VAZIO

Transparência, contraponto, diálogo, equilíbrio, forma sem preenchimento: o vazado. Elementos que se tornam signos para a construção estética. Poucos elementos, com muita intensidade. A linguagem subjetiva permite a percepção de múltiplos olhares. Olhares que compartilham de um conceito comum. O Som do Vazio – Para ver ouvir e sentir.

SINFONIA AZUL

Sinfonia Azul é uma expressão presente na letra da música “Té Mais”, de Mateus Costa e Marcelo Mello, e faz uma referência ao som constante das ondas do mar (que nos cerca). O movimento de ir e vir, trazer e levar, a respiração do mar, a emotividade, são alguns dos signos presentes neste show.

FERNANDA ROSA

A Corda em Si Conduite Art

Cantora de música popular tendo como base em sua formação vocal a técnica erudita, com influências da Técnica de Alexander, somadas a estudos autodidatas desenvolvidos em seus doze anos de carreira. Como interprete participou do CD “Lenga la Lenga” (2007), com o qual recebeu o 2º lugar no Prêmio TIM de Música Brasileira, e do álbum “Escolhas” (2012) de Leandro Fortes. Cantou ao lado da Camerata Florianópolis – com regência do maestro Jefferson Della Rocca – no concerto “Canções” em 2013 e 2014. Com seu trabalho principal, o duo A Corda em Si, realizou uma pesquisa intensa em timbres vocais para a construção de uma interpretação imagética que traga ao público, além da narração da letra, o ambiente, os personagens, e as emoções das canções. Como professora, ministrou a oficina “Canto Popular” no Festival Internacional Música Sem Fronteiras (Foz do Iguaçu/PR, 2014), leciona aulas individuais de canto, e realiza trabalhos de preparação vocal para atores e grupos de teatro em Florianópolis, como o musical “Zilda, anunciou é apoteose!” (2010), o teatro de animação “A casa da coisa” (2012) e o espetáculo “Poses para (não) esquecer” (2013), da atriz Heloisa Marina.

MATEUS COSTA

A Corda em Si Conduite Art

Desde 1989 atua como instrumentista e arranjador em diferentes estilos musicais. Estudou contrabaixo com a professora Maria Helena Salomão, primeiro contrabaixo da Orquestra Sinfônica do Paraná (OSINPA). Integrou a Orquestra Sinfônica do Estado de Santa Catarina (OSSCA) e o Quinteto de Cordas da OSSCA. Participou da Orquestra Municipal de Florianópolis, da Camerata Florianópolis e da Orquestra da UDESC (Universidade do Estado de Santa Catarina). Foi regente do grupo vocal Urubá Madrigal, onde compunha os arranjos para músicas populares. Tocou em grupos de jazz e big bands como Galo de Macumba Jazz e Compasso Aberto Big Band. Como professor, lecionou curso de contrabaixo erudito na Oficina de Música do IMCARTI (Instituto de Música, Canto e Arte de Itajai/SC), de 1998 à 2001. Em 2014 ministrou oficina de Composição e Arranjo na Música Popular no Festival Internacional Música Sem Fronteiras (Foz do Iguaçu/PR, 2014). Participou como instrumentista e arranjador da gravação de diversos CDs de compositores e grupos catarinenses como Cravo-da-Terra, Silvio Mansani, Neno Miranda e Lagustalá Guê. Com o grupo Cravo-da-terra gravou três CDs de composição autoral “Cravo-da-terra” (2005), “Infinito Som” (2008) e “Verde Longe” (2014). Participou do projeto Rumos Itaú Cultural onde gravou um DVD e realizou shows em São Paulo e Florianópolis, e integrou uma turnê nacional que passou pelas capitais Porto Alegre, Curitiba, Rio de Janeiro, Goiânia, Brasília e Salvador.